Menu fechado

Abusos: Como superar e seguir em frente?

Parte 3

Quando descemos do ônibus achei tudo tão diferente. Porém eu acreditava que ali aquele sofrimento para minha mãe teria um ponto final, infelizmente estava enganada e pior, o sofrimento seria de nós duas. Minha mãe em poucos meses conheceu o Marlon e começou a namorar com ele, e eu fui ficando mais de canto e como ela tinha que trabalhar para nos sustentar, isso fazia que ela estivesse boa parte do tempo fora de casa,  o que me fazia ficar mais tempo só, e me sentindo rejeitada, solitária e triste.

O tempo passou bem rapidinho, e quando percebi já tinha um ano, que havíamos nos mudado, só de bairro mudamos cerca de três vezes, estávamos morando agora era melhorzinho que todos os demais. Porém ali de todos os outros achava as pessoas muito distantes, fechadas em seu mundo e eu consequentemente ficava no meu, não conseguia fazer amizades, só tinha a Lu, uma amiga da escola que conheci há um tempo atrás, a Lu era bem rebelde mas era uma amiga e tanto, gosto muito dela até hoje. 

Dentro de casa a rotina era sempre a mesma, minha mãe saia cedo e retornava tarde, com o tempo começou a dar plantão a noite já que ela agora trabalhava em um hospital, e eu fui começando a me acostumar com a solidão, afinal eu ficava sempre só. O bairro que morávamos agora era tranquilo e não sentia medo, porém sentia muito a falta dela, tantas coisas estavam acontecendo, meu corpo estava mudando, eu me olhava no espelho e via a criança dando lugar a uma mocinha e aquilo me causava uma certa estranheza que eu não conseguia entender.   

Em uma destas noites eu estava só em casa quando ouvi alguém bater na porta, tive medo porém, tentei ficar calma, já que sabia que para estar batendo à nossa porta deveria ser alguém conhecido, quando vi que era o Marlon, namorado da mamãe fiquei mais calma. Ele entrou perguntou por ela, ele era gente boa, tratava ela bem e pra mim isso era o que importava. Achei estranho ele ir lá aquela hora, já que ele sabia que ela tava no plantão. Ele pediu água, e disse que havia esquecido que ela estava trabalhando, percebi que ele tava estranho naquela noite, tinha algo no  olhar dele que me deixava com medo.

 Quando fui buscar a água percebi que ele vinha atrás de mim e mais rápido do que pude reagir senti sua mão tapar minha boca, virar meu corpo e me mandar ficar calada. Meu corpo estava gelado de pavor. Ele parecia louco, seus olhos tinham um brilho estranho, um sorriso sinistro em seu rosto e ele me dizia que a muito tempo me observava e desejava meu corpo, ao ouvir aquelas palavras me senti em um estado de choque, para minha tristeza ele abusou de mim, usou meu corpo e ainda pior, me ameaçou dizendo que se caso eu falasse algo ninguém iria acreditar mesmo e que me mataria e que se eu falasse aquilo à minha mãe iria fazer ela sofrer mais ainda, e ela já havia sofrido tanto. Eu chorava balançando a cabeça confirmando o que ele tinha dito, ele parecia sentir prazer em me ver chorar .

Quando acabou a seção de horrores ele se vestiu, olhou pra mim com um olhar de satisfação e foi embora. Naquele dia meu mundo parecia desabar diante de mim, teria aquilo acontecido ou foi só um pesadelo? Infelizmente foi real e cruel. Nunca me senti tão triste como naquele dia, me senti suja, imunda, meu corpo doía e minha alma parecia sangrar assim como meu corpo, já que aquele monstro fez questão de me maltratar e me fazer sofrer.

Não podia acreditar que aquilo tinha acontecido, como ele podia ter feito isso comigo? Como? Senti vontade de morrer, nunca tinha desejado a morte até aquele dia. Maldito eu o odiei com todas as forças da minha vida. Desde então desejei matar ele…

Continua…

Insta: _umamigo

Tumblr:umamigoo

Face: fb.com/umamigoo

Email: falecom@umamigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *